INFORMATIVOS

Gravidez exige cuidados com a saúde da mãe e do bebê

Faça o pré-natal
Os exames pré-natais garantem a saúde da mãe e do bebê. São eles que irão avaliar a evolução da gravidez, favorecendo um diagnóstico precoce de doenças maternas, como hipertensão e diabetes gestacional, e de problemas no feto, como infecções e má formação fetal, ressaltando a importância de visitar o obstetra regularmente.

Tenha uma alimentação saudável
Especialistas recomendam que o ganho de peso durante a gestação não ultrapasse 12 quilos e não seja inferior a nove quilos. Portanto, é necessário uma alimentação especial nesse período. A gestante precisa de energia para manter suas atividades metabólicas e se ajustar às novas demandas da gravidez. Já o bebê precisa dos nutrientes ingeridos pela mãe para a correta formação de seus órgãos e o bom crescimento ósseo. Segundo a nutricionista, durante a gravidez, estão liberadas na alimentação das mamães as proteínas animal e vegetal; vegetais verde-escuro; sardinha, salmão e atum; frutas e verduras; líquidos e cereais integrais; deve ser restrito o consumo de sal; chocolate; gordura, fritura, embutidos e enlatados; manteiga, margarina, doces e molhos. Estão proibidos os refrigerantes e bebidas, contendo cafeína; produtos industrializados como gelatina, suco de caixinha ou latinha; adoçantes ou produtos diet (com exceção das pacientes diabéticas, que precisam de alimentos diet), light e zero; alimentos com agrotóxicos; temperos industrializados e carnes cruas.

Pratique exercícios físicos
Ao contrário do que muita gente pensa, gravidez não é sinônimo de repouso absoluto. Movimente o corpo. Atividades físicas melhoram a circulação, a elasticidade da pele e sua oxigenação. Além disso, condicionam a musculatura pélvica, preparando-a para o parto. Alongamento, hidroginástica, ioga e ginástica são algumas das atividades físicas indicadas para gestantes. Mas as atividades físicas só devem ser feitas após o terceiro mês de gestação. E os exercícios não são permitidos para mulheres com gravidez de risco ou possibilidade de abortamento. O ideal é procurar um médico antes de começar a praticar.

Aprenda a dormir corretamente
Parece bobagem, mas a forma como você dorme influi - e muito - na sua saúde e na do bebê. O corpo da gestante precisa estar apoiado em um colchão macio, mas firme. O travesseiro deve ser bem fininho, da mesma altura do corpo. A partir do segundo trimestre, é hora de usar três travesseiros. Um deles (bem fino) deverá ficar embaixo da barriga para elevar o tórax e melhorar a respiração. O outro deverá ser colocado entre as pernas (que devem estar flexionadas para compensar o peso da barriga) para facilitar a circulação. Se houver inchaço de pernas e pés, coloque uma colcha bem fina embaixo do colchão para elevá-los. Mas de nada adianta este aparato se você anda dormindo na posição errada. O correto é deitar-se do lado esquerdo, pois não há pressão sobre o feto e essa postura oxigena melhor o neném. Poltronas e sofás não são bons dormitórios pois forçam a coluna e trazem dores. Vale lembrar que durante a gravidez é comum as gestantes sofrerem de insônia. Segundo estudiosos, trata-se de uma preparação natural para a amamentação, quando você terá que acordar de madrugada para alimentar o bebê. Ainda assim, tente manter uma rotina de sono de 6 a 8 horas diárias.

Proteja-se do sol
Durante a gravidez é comum a ocorrência de manchas, sobretudo no rosto e no colo. São as chamadas melasmas ou cloasmas gravídicos. Para preveni-las, use diariamente filtro solar fator de proteção 30 (no mínimo). Não se esqueça da proteção adicional dos bonés, chapéus de abas largas e óculos escuros. Outras pigmentações, no abdômen, mamilos, axilas e virilha, podem ocorrer, mas costumam clarear alguns meses após o parto.

Tome cuidados antecipados
O ideal é estar atenta aos sinais do corpo antes mesmo de engravidar. Faça um exame ginecológico completo e o preventivo de câncer do colo do útero (Papanicolau). Trate possíveis infecções vaginais e realize sorologias sanguíneas para HIV, hepatites B e C, toxoplasmose, citomegalovírus, rubéola, HTLV, sífilis e cultura para estreptococo do grupo B. Realize um ultrassom e exames de sangue, urina e fezes. Verifique se está com a vacinação em dia e administre, até a 12ª semana de gestação, algumas doses de ácido fólico, recomendadas pelo médico. O ácido fólico diminui a incidência de má formação do tubo neural da criança, quando há ingestão dessa substância tanto na alimentação quanto como medicação.

Realize atividades de lazer
Durante a gravidez, a mulher oscila facilmente entre a felicidade e a tristeza. As causas para esta grande alteração no humor são muito variadas. Pode ser atribuída às alterações hormonais, por conta do aumento de progesterona e estrógeno, como também pode ser motivada por diversas preocupações que a mulher tem nesta fase de sua vida. "Será que vou ser uma boa mãe? O bebê será saudável? Haverá condições financeiras para mais um elemento na família? Qual será a reação do pai do bebê? Será que a relação entre nós dois será afetada?" - estes são apenas alguns exemplos dos seus receios mais comuns durante a gravidez. As crises de choro são tão frequentes quanto os momentos de extrema felicidade. Estas variações de humor são mais frequentes durante as primeiras 12 semanas da gravidez. À medida que a gravidez avança, estas crises tendem a diminuir. Quando se sentir triste, procure reverter essa situação. Realize atividades de lazer. Passeie, leia, assista a um filme, reúna os amigos e a família. Compartilhar as suas angústias e receios também ajudará. Acima de tudo, não se recrimine pelas suas mudanças de humor, perfeitamente normais nesta altura. Se a situação de tristeza permanecer mais de duas semanas, aconselha-se que consulte o seu médico, que poderá, eventualmente, receitar-lhe antidepressivos não prejudiciais ao seu estado.

Outras dicas:
• Use sapatos de salto baixo.
• Beba bastante líquido.
• Não fique em pé ou sentada durante muito tempo.
• Repouse sempre que possível.
• Se possível, use meia-calça elástica.
• Quando sentada, apoie os pés em um banquinho.
• Repouse em decúbito lateral esquerdo.
• Eleve os membros inferiores algumas vezes ao dia.
• Movimente os pés quando estiver sentada.
• Sente-se sempre com as costas retas e, se necessário, coloque uma almofada para ter melhor apoio.
• Ao levantar-se da cama, faça-o com movimentos suaves, espreguiçando-se, pois isso é bom para as articulações e para a musculatura.
• Faça exercícios de alongamento, quando orientada.
• No caso de cãibras, friccione o local dolorido e faça compressas quentes na  região.
• Não se automedique, utilize remédios somente após consultar seu médico.
• Mantenha uma atividade normal, sem fazer esforços excessivos. A prática de esportes leves é permitida. Evite uma vida muito sedentária.
• Não fume em hipótese alguma. O fumo na gravidez é danoso ao bebê.
• Evite fazer viagens longas. Caso sejam inevitáveis, peça orientação e autorização ao seu médico. No caso afirmativo, procure ir devagar e faça paradas para descansar.
• Use sutiãs de alças e base largas; se possível, tome banhos de sol diariamente nas mamas, por 15 minutos.
• Para fortalecer os mamilos, provoque atrito com uma toalha após o banho. Evite o uso de cremes ou pomadas hidratantes nos mamilos.
• Evite aumento excessivo de peso; faça uma dieta balanceada.
• Atenda sempre à vontade de urinar. É normal a diminuição dos intervalos por causa do aumento da pressão do útero sobre a bexiga, ocorrendo em especial nos 3 meses iniciais e no final da gestação.
• Caso surjam estrias, use cremes ou óleos apropriados, que podem ser úteis também para reduzir o desconforto.
• Caso sinta congestão nasal ou falta de ar, eleve a cabeceira da cama e se sente ou se deite do lado esquerdo.
• Contra azia, coma pequenas quantidades de alimentos várias vezes ao dia; não deite logo após comer; tome água gelada entre as refeições; evite alimentos ácidos, condimentados ou muito gordurosos.
• Para combater náuseas e vômitos, faça uma alimentação matutina leve; procure ingerir líquidos e sólidos separadamente; mastigue bem os alimentos; e, caso saiba os horários do dia em que os sintomas costumam aparecer, tente se alimentar 30 minutos antes.